quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Venezuela se prepara para referendar reeleição contínua


Brevemente estaremos acompanhando pelos nossos telejornais o bombardeio jornalístico, nada imparcial, na cobertura dos preparativos do novo referendo venezuelano. Onde o povo deve aprovar ou rejeitar a proposta de reeleição contínua dos mandatos executivos exercidos naquele país.

Acompanhe abaixo a matéria que retirei do site do Jornal Brasil de Fato, que por sua vez reproduziu da Prensa Latina .



Partidos venezuelanos entraram na reta final da batalha por uma proposta de emenda constitucional para a reeleição contínua. Referendo sobre o tema será realizado em 15 de fevereiro.

Prensa Latina


Novo Referendo na Venezuela


Os partidos venezuelanos entraram na reta final da batalha por uma proposta de emenda constitucional para a reeleição contínua, a pouco mais de um mês da realização de um referendo sobre o tema.

Os apoiadores do presidente Hugo Chávez permaneceram nas ruas neste final de semana em atos massivos de formação de comitês pelo “sim” e mobilizados na recolhida de assinaturas a favor da iniciativa.

Os opositores, por sua vez, deixaram de lado momentaneamente suas discrepâncias e também estruturam seus comandos pelo “não”, a fim de evitar a permanência de Chávez na Presidência.
O Partido Socialista da Venezuela (PSUV) e seus aliados estimam, pelo contrário, que um novo mandato de Chávez é necessário para garantir o processo de mudanças iniciado em 1999.


Com esse fim, os legisladores do PSUV propuseram na Assembléia Nacional eliminar o limite de dois mandatos presidenciais, proposta à qual o Chefe de Estado acrescentou os cargos de governadores, prefeitos e legisladores.

"Casa por casa"
Proposta a batalha, cujo episódio final será um referendo provavelmente no próximo 15 de fevereiro, os comitês pelo “sim” do PSUV propõem visitar os venezuelanos casa por casa para explicar o conteúdo da proposta.



A estratégia busca enfrentar uma campanha opositora que apresenta a iniciativa como uma tentativa de Chávez de se perpetuar no poder e explicar que se trata de uma ampliação da democracia, ao eliminar travas para as postulações.

Ao mesmo tempo, os membros do PSUV consideram que a possibilidade de postulação contínua é garantia de bom governo e esclarecem que sempre, todos os candidatos, deverão se submeter ao julgamento popular nas eleições respectivas.

Batalha dura
Em seu discurso no sábado(10) para milhares de camponeses, o Chávez advertiu a seus seguidores que a luta será dura, pois a proposta enfrenta a oposição do governo dos Estados Unidos, que assessora dirigentes de partidos da direita.


A proposta já foi aprovada em primeira leitura pela Assembléia Nacional e na próxima semana deve ser adotada definitivamente para ser apresentada ao Conselho Nacional Eleitoral, encarregado de organizar o referendo, 30 dias depois.

Nenhum comentário: