terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Boicote a Folha/UOL e seus anunciantes



Já está a todo vapor uma grande campanha contra o grupo Folha (Folha de São Paulo e UOL [Universo On Line) devido a campanha sistemática e de baixo nível que esse grupo midiático levantou contra a antítese do pensamento anti-neoliberal. Parece que não se adaptaram aos novos tempos e por isso está pagando o preço por não saber conciliar cobertura jornalística com ética e imparcialidade. Por isso o Pimentus adere à esta cam
panha cívica e convida outros blogs a fazerem o mesmo; boicotar a compra de jornais da Folha de São Paulo e sua assinatura bem como aos anunciantes do UOL.

Abaixo reproduzo o texto do blog da
MariaFro onde é possível entender todo o histórico das mazelas do grupo Folha e a justificativa da campanha pela ética e o bom jornalismo.



Não basta cancelar assinaturas da Folha/UOL: boicote seus anunciantes!


Tem algo na cultura estadunidense que admiro profundamente: os EUA são um país assumidamente liberal, seus cidadãos lidam com o capitalismo e o consumo de modo claro e aberto. Se uma empresa não corresponde às expectativas e fere o código do consumidor eles movem processos e boicotam. Fazem campanha.

É isso que proporei neste post. Além de cancelar assinaturas da FOLHA/UOL, proponho que boicotemos empresas e produtos que anunciem neste grupo empresarial. Quem deseja ter sua marca assinada a um jornal que pratica anti-jornalismo não merece que os cidadãos de bem prossigam consumindo seus serviços/produtos.

Ando acompanhando o debate na blogosfera sobre o novo protesto contra a Folha/Uol que está marcado para o próximo sábado, às 10 hs, na Barão de Limeira, em frente à sede do Jornal colaboracionista com a ditadura militar.

Eduardo Guimarães propôs o protesto que foi acatado pelo MSM, alguns jornalistas como Rodrigo Vianna acha que um manifesto em frente ao jornaleco é dar muita importância para este órgão espúrio e propõe algo que doa no bolso do Grupo Folha/UOL: cancelamento de assinaturas. Edu contesta a medida como inócua, devido ao fato de esses jornalecos viverem de publicidade e de acordos com o poder público, muitas vezes, duvidosos como no caso da Folha especialmente com o governo do Estado que, além de anunciante de peso, faz assinaturas do jornaleco via secretaria da educação. Aliás, leiam aqui a interessante simbiose criada pelos tucanos com os jornalões.


Em março deste ano, um movimento completamente novo e independente surgiu via blogosfera contra o mau jornalismo praticado por este jornal decadente. Em seu editorial a folha de são paulo (em minúscula mesmo) afirmava, aos moldes de Pinochet, que no Brasil não havia tido ditadura militar e sim ‘ditabranda’.

O resultado daquele movimento foi muito positivo. Transmitido ao vivo pelo twitter e pela blogosfera, ganhou notoriedade mundial, o que fez o jornaleco mais uma vez passar vergonha pública e voltar atrás em outro editorial, além das milhares de assinaturas canceladas e de vários ciclos de debates e publicações em torno da discussão sobre os anos de chumbo no Brasil.

É compreensível (embora seja inaceitável) a folha sempre querer minimizar o que foi o regime de exceção e tortura no Brasil. Este jornaleco tem muitos motivos pra querer apagar a memória das décadas de ditadura militar no Brasil, já que foi um jornal colaboracionista com a ditadura militar. Nós, brasileiros cidadãos que respeitamos os valores democráticos, não.

Agora, no final de novembro, novamente a folha, que deveria poupar o corte de eucaliptos, publica um artigo de César Benjamin, ex-militante arrivista, que além de ofender a memória de um dos principais movimentos responsáveis pela queda da ditadura militar no Brasil, ataca gratuitamente a figura do presidente do país, praticando injúria e difamação (eu ainda sou favorável a uma ação pública contra a Folha e contra Benjamin). As falsas acusações do artigo injurioso foram negadas com veemência por todos os envolvidos, inclusive pelo delegado responsável pela prisão de Lula à época: Romeu Tuma.

Enfim, a folha caminha a passos largos para decretar sua falência financeira, pois a falência jornalística ela já decretou há muito.

Pessoas inteligentes, sérias, que desejam a promoção da democracia não podem ler o jornalismo marrom praticado por este jornaleco. Se ainda assinam a folha ou uol, cancelem. Mas além disso, proponho que também boicotem produtos e empresas que ainda anunciam neste jornal de futricas, factóides e faccioso.

Abaixo, segue uma lista provisória dos anunciantes que ainda associam seus produtos e marcas a este Grupo sem moral. Peço ajuda aos leitores do blog para que completemos a lista.

Abraços

BOICOTE AS EMPRESAS QUE ANUNCIAM NO GRUPO FOLHA/UOL

Cursos 24 Horas

Lojas Americanas,

Espaço de Dança Ruth Rachou,

Extra,

Fábio Imóveis,

Fast Shop,

Livraria Saraiva,

Luxtravel Turismo,

Magazineluiza,

Portal Educação

SKY

Submarino,

Via Tentação Lingerie Sexy

Vida Boa Brasil

Nenhum comentário: