terça-feira, 2 de junho de 2009

Trabalhador organizado só no sindicato


Temos a dimensão da exploração sobre a classe trabalhadora quando temos a informação de quanto ela é atacada em seus direitos. Estou dizendo isso porque trabalho numa entidade sindical na qual luta para organizá-la e prepará-la não só para defender suas conquistas, mas avançar na luta. Somente através da organização é que os trabalhadores conquistaram diversos direitos. A luta individual não é interessante. Tem de ser coletiva. O trabalhador precisa sentir-se parte de algo maior. Gostaria de usar como exemplo a categoria dos Radialistas. Trabalhadores que trabalham em empresas de radiodifusão; Rádio, TV, produtoras de programas e comerciais tanto para emissoras de rádio ou televisão. Devido a sua organização no passado conquistaram diversos direitos, que vai da necessidade do registro profissional para exercer mais de 90 funções, a remuneração sobre o salário quando exerce mais de uma função dentro de um mesmo setor e outro contrato de trabalho e, consequentemente, outro salário por exercer mais de uma função em setores diferente. Sem falar na carga horária diferenciada, que varia, conforme a função de 6 horas até 8 horas. Os radialistas, através do sindicato travam lutas constante para manter estas conquistas que todo ano o patronal tenta retirar. A maneira mais insólita deles fazerem isso é não cumprir a Lei. Se os trabalhadores não denunciarem ao sindicato, como modificar estar situação? Esperar que o patrão coloque a mão na consciência?! Quem esperar isso, nem precisa ficar sentado, pode ir deitando na sepultura. E pior, vendo seus filhos perdendo estes direitos por inércia de sua parte.

Estar cientes de que todos os benefícios que temos hoje não vieram de graça. É se prontificar para a luta que o sindicato da categoria possa chamar. É digo com absoluta certeza que esta luta acontece todos os anos os anos durante a campanha salarial. Que no caso dos radialistas do Estado de São Paulo acontece no mês de maio e geralmente acaba se estendendo pelo mês de junho. Como está acontecendo este ano.

O refluxo da luta é um fenômeno que tem acopanhado a categoria há muitos anos e tem se intensificado. Quanto menos consciência de que estamos sendo vítimas da exploração, menor o interesse em fazer o enfrentamento contra os interesses do patrão. E isso só tende a resultar em mais exploração salarial, mais ataques em nossos direitos e sermos vítimas regulares de demissões por parte da empresa. A luta coletiva nos faz ser fortes. Ultrapassamos a dimensão individualista para alcançar um patamar evolutivo que infelizmente a maioria ainda não se deu conta que podemos ter. O primeiro passo neste sentido é estar sócio de sua entidade de classe. Acompanhar atentamente as discussões que a diretoria traz para a categoria. Seja em atos políticos ou através do informativo do sindicato. A entidade sindical é a casa do trabalhador. O seu espaço onde possa levar seus anseios e buscar respostas que, por muitas vezes, procuramos em outros lugares.

Se vc ainda não se sindicalizou ou não procurou saber sobre as lutas que o sindicato de sua categoria está fazendo, já está na hora. Se ao contrário de conduzir uma luta pelos interesses dos trabalhadores o sindicato está inerte, está na hora de vc, junto com outros companheiros apresentarem uma alternativa. Não ficarão sozinhos, podem acreditar.

Nenhum comentário: