terça-feira, 14 de setembro de 2010

A mídia golpista tenta evitar, mas "onda vermelha" se aproxima.


Às portas do desespero, oposição se agarra em ilações, denúncias e factóides para ocupar mais espaço na mídia além do horário eleitoral gratuito. E olha que se fosse só a oposição estaria dentro da "normalidade". O que vemos é o empenho de diversas redes de televisão, rádios, jornais e revistas se articulando no sentido de ecoar todo e qualquer assunto que desgaste a candidata do governo federal. Há também iniciativas em esconder o crescimento da candidatura ao governo do Estado pelo Partido dos Trabalhadores Aloisio Mercadante. 


O "medo" da tal "onda vermelha" chega as lideranças do DEM e do PSDB, já que há grande risco de suas principais lideranças não se elegerem. Chega a ser hilário seus posicionamentos frente à mídia, suas aliadas, em relação a esta situação. Em Goiás o senador Marconi Perillo do PSDB bravejou;  “É um tsunami.”  Para o candidato, o PT quer transformar o país "num México ou numa Venezuela". “Eles (PT) querem aniquilar as lideranças de oposição e varrer do mapa estas lideranças, derrotando os principais senadores e deputados que fazem oposição ao governo federal” ressaltou. 


Sua postura reflete o estado em que chegou os representantes de uma parte de nossa sociedade (direita) condenada ao ostracismo. No início deste século a história política desenhada em nosso país, pelos brasileiros, tem demonstrado que posições ideológicas do Estado mínimo em que reinava o "deus mercado" não tem vez. Resta-nos assistir de camarote, ou não, as fragorosas derrotas eleitorais que se aproximam ou se empenhar em enterrar de vez essa postura decadente que já fez muito mal ao país.

Nenhum comentário: