quarta-feira, 29 de setembro de 2010

"Não há sinais de onda verde, nem de queda de Dilma Rousseff"


O título deste post está em parênteses, ou seja, não é uma frase minha. Mas com certeza é de uma autoridade sobre o assunto. Visitando o blog de Luís Carlos Azenha me deparei com esse título chamativo, vamos dizer assim.

Na verdade vejo um começo de histeria acometendo a base da militância de Dilma Roulssef. E olha que não se trata apenas daqueles que carregam piano. Ontem em reunião do diretório local e conversando com uma professora, do meu curso de comunicação, relataram as mesmas preocupações; "Dilma está caindo mesmo?!". Acho que não é bem isso que está acontecendo.

As manchetes da Folha, reverberizada por outras mídias tem um poder, sim, de mexer com a militância. Novamente; a frase que está no título deste post, de que não há sinais de votos migrando para Marina ou de que ela esteja galgando rapidamente o segundo lugar, muito menos queda de Dilma é de Marcos Coimbra, presidente do Vox Populi. Acompanhem abaixo os detalhes;


por Luiz Carlos Azenha
Marcos Coimbra, em entrevista por escrito ao Poder Online:
“Para ter segundo turno, Dilma teria de perder 8 milhões de votos em seis dias”
Uma pequena entrevista por email, do presidente do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, ao Poder Online, do IG:
Marina Silva está crescendo sobre votos de Dilma Rousseff?
– Não dá para dizer. Dilma cresceu tanto após o início do horário gratuito da propaganda eleitoral que roubou votos dos outros dois. Agora, esses votos estão, ao que parece, voltando para eles.
Quantos votos, de fato, Dilma precisa perder para que haja segundo turno?
– Nos dados de nosso tracking (corroborados por vários outros que temos de pesquisas desenvolvidas em paralelo), a vantagem dela para a soma dos outros estava em 12 pontos percentuais ontem. Se 6 pontos passassem dela para os outros, a eleição empataria e o prognóstico de vitória no primeiro turno seria impossível.  Como cada ponto equivale a mais ou menos 1,35 milhão de eleitores, isso seria igual a 8 milhoes de eleitores (sem raciocinar com abstenções).
Marina Silva pode ultrapassar José Serra?
– É muito pouco provável, no conjunto do país. Possível em alguns lugares, como a região Norte e o DF. Talvez se consolide no Rio, onde ela já está na frente.
Qual o quadro que o senhor acha mais provável?
Vitória de Dilma no primeiro turno.
*****
Em outras conversas, ao longo do dia, Coimbra disse o mesmo a mais de um interlocutor: não há sinais de onda verde, nem de queda de Dilma Rousseff.
O próprio tracking do Vox Populi de hoje registra Dilma com 49%, Serra com 25% (subiu 1) e Marina com 12% (caiu 1).
Ou seja, faltando quatro dias para as eleições continua valendo a entrevista que Coimbra deu ao Viomundo, que está aqui. Serra e Dilma estão abaixo das previsões que Coimbra fez em texto para a CartaCapital (56% a 33%).

2 comentários:

Fabrícia Lopes disse...

É meu amigo, se ela não vencer no primeiro turno, já era! Os eleitores da Marina são conservadores (moral) e não votam no PT nem sobe ameaça de morte! Detalhe: são escolarizados.

WERNECK disse...

ô meu bem. Seja sempre bem vinda! Só uma perguntinha; escolarizados significa consciência política?! Ah se fosse... seria muito bom para humanidade. Ter um pouquinho de escola. Aproveito a oportunidade para lhe indicar um "textículo" do Paulo Henrique Amorim. Em tempos de alfinetadas de final de campanha, essa achei bem engraçada.
Olha os links;
1º http://www.conversaafiada.com.br/politica/2010/09/28/lucia-hippolito-vota-na-marina-por-que-a-globo-trocou-de-candidato/


http://www.conversaafiada.com.br/politica/2010/09/10/o-que-pensa-a-marina-nada/

Bjs no coração.