sexta-feira, 16 de maio de 2008

A Bolívia em disputa


A luta de classes, muito bem explicada por Marx e Engels não é coisa do passado. Mesmo que a todo momento não percebemos uma ou outra "insatisfação" dos trabalhadores que lutam para sair do refluxo das lutas sindicais muito pouco incipiente nos dias atuais. Ainda mais quando nossa mídia faz a cobertura jornalística dessas lutas, sempre de maneira negativa. Essas lutas de classe não vem acontecendo apenas Brasil. Apesar de que elas são perceptíveis apenas nos sindicatos combativos, que se esforçam para conscientizar as bases da categoria frente a exploração do trabalho pelo capital. No mundo, acredito que esta situação seja mais emblemática na Bolívia. Que ultrapassa a luta imediata sobre salário e condições deste, mas de poder.

Por séculos nas mãos de uma elite reacionária e racista. E quando esta perde o jogo, organizado e arbitrado por ela, tentam de diversas maneiras permanecer no poder. Tentando manter esta estrutura de exploração. Foi assim com a eleição de Evo Morales na Bolívia. Após o referendo, ilegal, promovido em Santa Cruz pela elite daquela região e entrincheirada no poder daquele departamento, não foi reconhecido por nenhuma instância internacional multilateral. O pleito teve mais 40% de abstenções e apesar disto, a imprensa daquela província, nas mãos da elite reacionária, sustentam números de 86% de "aprovação." As informações que tenho é que o índice de abstenção foi maior do que as duas últimas eleições realizadas ali. Tenho absoluta certeza de que se não houvesse apoio político internacional o Presidente Evo Morales já teria caído.

Governos eleitos democraticamente tem de se submeterem a um jogo desigual, já que boa parte das instâncias políticas e instituições permanecem nas mãos de quem sempre ocupou o poder. Sempre foi assim. Sempre será?

Acompanhem mais a situação do que vem ocorrendo na Bolívia clicando nos links abaixo.


-
Especial Brasil de Fato; A Bolívia em disputa

-
O desrespeito do governo americano em relação a soberania da Bolívia

-

Nenhum comentário: